8.01.2007

Sempre duvide de best-sellers

Eu faço parte de um grupo de pessoas que não aceitam o óbvio. Alguns chamam de criticismo, ser do contra. Até concordo. O fato é que eu sempre duvido do óbvio, do massivo, do que atinge a todos como se coubesse a cada um. Existem sim boas idéias, boas energias, ilusões e fés para nos apegarmos, todo ser humano precisa disso. O problema é que pra vender, essas coisas são tratadas com uma simplicidade absurda. Uma visão reducionista demais. Essa história de "O Segredo" não me convence de jeito nenhum. A mulher pega oito meses com alguns ditos mestres pra dizer que descobriu o segredo da humanidade. Como assim? É reduzir ao óbvio a idéia de ditado popular: fazer o bem para colher o bem, quem emana boas energias recebe boas energias. Com o adicional de receitas de livretes de auto-ajuda, numa capa dura e design também de auto-ajuda. Página na internet, programa de TV e filme com altas bilheterias?! e ainda quer me convencer que isso não é indústria cultural!? Demais não! O pior é que muita gente entra nessa onda por inércia.

A vida não pode mesmo ser tão simples assim. O que é feito daquele sofrimento que te faz repensar, do seu direito de ficar puto, de se sentir irritado, mandar tomar no cu, gritar todo tipo de palavrão pra todo mundo ouvir e sair aliviado. Além do que, a vida vista com olhos de Poliana menina, moça e mulher é muito chata, não.

1 Comments:

At 8:08 AM, Blogger Lorena said...

ai Cíntia, vc é incrível. Vamnos nos salvando dessa mania do homem de "ismos". Prefiro trocar pelo "íssimos" pra vida ser mais emoção do que certezas! Beijo enorme!

 

Postar um comentário

<< Home